Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
5/12/19 às 19h08 - Atualizado em 10/12/19 às 15h11

Premiação do concurso de redação da Defensoria Pública da União

COMPARTILHAR

Os vencedores do concurso de redação e vídeo da Defensoria Pública da União (DPU), em sua quinta edição, além de receberem a premiação, nesta quinta-feira (5), puderam assistir à apresentação de dança do Grupo Asas, da Escola Parque Anísio Teixeira, de Ceilândia. A cerimônia foi no memorial JK.

 

Dentre as atrações, destaque também para as canções de MPB, além do Hino Nacional, executados pelos integrantes do coral daquela escola, e da Orquestra de Violinos, sob a regência do professor Marcos Rocha.

 

Presente ao encerramento da solenidade, o governador em exercício, Paco Britto, foi recebido pelo defensor público-geral federal, Gabriel Faria Oliveira, quando anunciou aos presentes que, no próximo dia 9, será assinada a Lei do Voluntariado Socioeducativo.

 

“Nós vamos conseguir vencer e socializar todas pessoas”, garantiu, referindo-se aos detentos que estão em cumprimento de medida socioeducativa de internação ou em situação de privação de liberdade.

 

“Deixo meu gabinete disponível às causas e às lutas dos defensores públicos”, disse Paco, após registrar sua satisfação pela aproximação com a DPU. Em seu discurso, fez questão de relembrar a Exposição no Fluxo, realizada em setembro último, no Palácio do Buriti, onde mais de mil visitantes e cerca de 900 estudantes da rede pública de ensino passaram pela exposição.

 

“(Os visitantes) tiveram a oportunidade de conhecer a exposição e a bela missão da Defensoria Pública, que vai muito além de dar assistência para quem dela precisa: tratar com respeito e dignidade as questões humanitárias do mundo atual”, concluiu, parabenizando todos participantes e vencedores do concurso.

 

Gabriel Oliveira agradeceu a parceria com o GDF, o poder judiciário do DF e à Receita Federal. “O concurso foi pensado como fomento, por meio da redação, à Educação e direitos. É um processo exitoso”, resumiu, acrescentando que 16 mil redações foram corrigidas.

 

Já o secretário de Atuação no Sistema Penitenciário Nacional da DPU, Alexandre Kaiser Rauber, lançou um desafio ao defensor público para que fossem incluídas mais duas novas categorias, na próxima edição, das unidades penitenciárias, onde os inscritos que tivessem maior participação, seriam premiados.

 

Premiação

 

Com oito categorias distintas de premiação e com o tema “Defender direitos, evitar desastres: como o acesso à justiça contribui para o desenvolvimento sustentável”, esta edição foi direcionada ao Ensino Fundamental (6° ao 9°ano) e Médio; incluindo a modalidade Educação de Jovens e Adultos (EJA), assim como os adolescentes que estão cumprindo medida socioeducativa de internação e os adultos em situação de privação de liberdade, em instituições estaduais e federais, desde que devidamente matriculados em escola da rede pública ou de ensino técnico do país.

 

O concurso também foi destinado a todos os internos das penitenciárias federais. O objetivo é mobilizar e levar visibilidade para a escola, além de motivar os estudos, estimular a competição e premiar os trabalhos que obtiverem melhor colocação.

 

Classificada em primeiro lugar na Categoria 1, a adolescente de 13 anos, Catharinie Moreira de Castro, do Núcleo Bandeirantes, revelou surpresa com a premiação. “Eu não estava esperando. Já tinha participado de outros concursos, mas esta é a primeira vez que eu ganho”, confessou, emocionada.

 

Os jovens socioeducandos da Unidade de Internação de Planaltina (UIP), que produziram o filme vencedor na categoria Mobilidade, levaram a premiação máxima de 10 mil reais.

 

Participaram da cerimônia; a juíza titular da Vara de Execuções Penais do DF, Leila Cury; a coordenadora-geral do Sistema de Atendimento Socioeducativo, Gisele Cyrillo; representantes federais, militares e do GDF; o secretário de Projetos Especiais, Everardo Gueiros; diretores, professores e alunos de escolas participantes.