Governo do Distrito Federal
Maria da Penha ONLINE Governo do Distrito Federal
20/07/23 às 17h11 - Atualizado em 20/07/23 às 17h11

GDF investe R$ 3,7 milhões para modernizar estruturas dos Centros Olímpicos

A governadora em exercício Celina Leão garante que ” casos de crianças e idosos que se machucavam em piscinas são página virada” | Fotos: Lúcio Bernardo Jr./ Agência Brasília

 

Os 80 mil alunos dos 12 Centros Olímpicos e Paralímpicos (COPs) do Distrito Federal agora podem aproveitar as piscinas e campos de grama sintética em boas condições. A entrega da última unidade reformada ocorreu nesta quinta-feira (20), na Estrutural, durante visita da governadora em exercício Celina Leão ao local.

 

Foram investidos R$ 2.928.550,00 em 22 piscinas dos COPs, enquanto cinco campos receberam R$ 793.476,00 para ficarem aptos para o uso de alunos e alunas. Os COPs são grandes aliados da comunidade e oferecem dezenas de modalidades esportivas individuais e coletivas para crianças, jovens, adultos e idosos, incluindo pessoas com deficiência.

 

É justamente para esse apoio na prática esportiva que a governadora em exercício Celina Leão chamou a atenção em seu discurso. “O GDF tem compromisso com o esporte. Fizemos esse compromisso de reformar os campos e todas as piscinas. Todos os nossos centros passaram por reformas nas piscinas, elas receberam aquecimento. Aqueles casos de crianças e idosos que se machucavam em piscinas são página virada, agora eles nadam e desfrutam das piscinas com água quentinha”, afirmou.

 

Com as obras na Estrutural, as 1.450 crianças matriculadas nas 150 turmas ofertadas pelo COP local serão beneficiadas com as ações de zeladoria no local. A estrutura conta com três piscinas — uma infantil e duas semiolímpicas — que estavam inutilizadas devido a falta de aquecedor. Na unidade da Estrutural, o GDF aportou R$ 233,9 mil para deixar as piscinas com água aquecida e instalar pastilhas novas.

 

Esse benefício à comunidade também foi lembrado pelo secretário de Esporte e Lazer, Renato Junqueira. “Sabemos a importância que o Centro Olímpico causa na vida das crianças, adolescentes e idosos, sendo no caso deles pelas aulas de hidroginástica. Essa reforma dos campos e das piscinas tem sido uma constante do governo onde contamos com o apoio de emendas parlamentares, do Fundo de Apoio ao Esporte e agora com a Lei de Incentivo ao Esporte”, pontuou.

 

Com os novos equipamentos, agora o COP oferece aulas de natação e hidroginástica, tanto para adultos quanto para crianças. O centro está com vagas abertas para todas as modalidades e, para se inscrever, basta que o interessado compareça à secretaria do local. “Nós aguardávamos por esses aquecedores há mais ou menos um ano e meio. A gente tinha as piscinas, mas elas não estavam funcionando para as atividades. Com o recurso, nós trocamos as pastilhas de revestimento e colocamos os aquecedores”, reforçou a diretora em exercício do COP da Estrutural, Miriam Lemos.

 

Para a aluna Yasmin Gabrielly Assis, de 7 anos, a água aquecida faz toda a diferença durante as aulas de natação. “Gosto de fazer aula de natação aqui porque eu também brinco antes de sair da piscina. A água é quentinha, eu gosto muito”, revelou.

 

Campo sintético

 

O governo também investiu cerca de R$ 120 mil no campo de grama sintética. Os alambrados, que estavam danificados, foram trocados e pintados e, além disso, as equipes fizeram a roçagem do terreno.

 

O professor de futebol society Blukene Queiroz, 31 anos, lembrou como o campo estava antes da reforma. “Estava bastante irregular, com muito buraco. Ficávamos preocupados de algum aluno se machucar. Depois da reforma ficou excelente e até animou os meninos a retornarem para as aulas”, garante.

Para Rhuan Barbosa, 15 anos, o importante é que o campo está mais seguro para a prática do esporte. “Tinha muito buraco e muitas pedras. Eu sempre caía, já até me machuquei jogando bola aqui. Hoje está muito bom e bem diferente do ano passado”, afirmou.

 

O aluno Emanuel Bruno Lopes, 13 anos, revelou que, com as reformas, está até mais fácil de fazer gol. “Antes eu me machucava muito, porque tinha muita curva e não dava pra jogar bola. Agora, eu não me machuco mais e estou sempre fazendo gol”, afirmou.

 

Ian Ferraz e Thaís Miranda, da Agência Brasília | Edição: Vinicius Nader